Revista de Agricultura Urbana
Urban Agriculture Magazine
RUAF - Centro de Recursos em Agricultura Urbana e Segurança Alimentar

Revista de Agricultura Urbana
Edição nº 13 - Dezembro de 2004
Árvores e cidades crescendo juntas
Silvicultura Urbana e Periurbana


Prezados Leitores,

Esta edição da Revista de Agricultura Urbana contou com o apoio do Departamento de Florestas da FAO e do Centro Europeu de Pesquisas e Informações sobre Florestas Urbanas (European Urban Forestry Research and Information Centre - EUFORIC).


Embora as sociedades humanas, durante a maior parte de sua história, tenham sido predominantemente rurais, atualmente a maioria da população mundial vive em cidades. Ao mesmo tempo, cada vez mais terra é necessária para atender as necessidades dos seus habitantes, concentrando inevitavelmente insumos e resíduos (a “pegada” urbana), com efeitos quase sempre negativos sobre as florestas e outras áreas verdes. Especialmente nos países em desenvolvimento, onde hoje estão crescendo a maioria das regiões metropolitanas do mundo, o gerenciamento dessas imensas populações urbanas será um dos maiores desafios de nosso tempo.

O II Fórum Mundial sobre Cidades (Barcelona, setembro de 2004) investigou uma série de questões enfrentadas pelas cidades, para onde convergem diferentes culturas. O que antes foi chamado de “aldeia global” está se tornando um globo urbanizado. A migração urbana muitas vezes aparece como a única chance de uma vida melhor, mas vem tornando a pobreza um problema urbano quase insuperável. Os desafios relacionados com a urbanização são sempre muito significativos, especialmente no mundo em desenvolvimento. As preocupações básicas como a provisão de alimentos e de moradia, saneamento, emprego etc., ainda estão para serem resolvidas devidamente. Como podem as árvores e florestas, dentro e ao redor das cidades, ajudar a reverter esse quadro de problemas? As experiências demonstraram que os bosques urbanos e outros espaços verdes formam mais do que uma simples infraestrutura “auxiliar” no ambiente urbano.

As experiências descritas nesta edição mostram a importância da silvicultura urbana e periurbana (SUP). Esse conceito oferece lições importantes e enfatiza a necessidade de reunir forças com a agricultura urbana e com outras iniciativas que também objetivam o desenvolvimento urbano sustentável. Isso requer uma abordagem estratégica e a integração com uma ampla variedade de questões e agendas. Os problemas enfrentados pelas cidades no século 21 não podem ser efetivamente enfrentados sem uma aliança coerente de todas as forças nos níveis local e internacional. Iniciativas de cooperação e de parcerias firmadas entre cidades abrem uma porta importante para vários tipos de interação.

Pedido de colaboração

Todos os leitores estão convidados a contribuir para os próximos números desta Revista (ver nota sobre as próximas edições). Os seus artigos são bem-vindos, devendo conter até 2.500 palavras e preferentemente acompanhados com ilustrações (digitais de boa qualidade), referências e um resumo. Apesar de cada edição ter um foco sobre um tópico selecionado, nós recebemos com satisfação contribuições sobre qualquer tema ligado à agricultura urbana. Os artigos serão examinados para publicação pela equipe editorial formada pelo editor do RUAF e por um coeditor-consultor científico externo convidado.

A edição n. 12 em espanhol foi publicada, e as edições n. 9 e 11 em francês já foram distribuídas, e a no. 10 ainda esteja sendo produzida. A 5ª. Edição da Revista em chinês foi distribuída, e os números de 1 a 7 foram traduzidos para o português e estão disponíveis apenas na Internet, no sítio do RUAF ou em www.agriculturaurbana.org.br/RAU/AUrevista.html.
Os leitores das várias línguas nas quais a Revista é publicada (inglês, francês, espanhol, árabe, chinês e português) podem encontrar as versões que lhe interessam em www.ruaf.org. Clique aqui para mais informações sobre as edições regionais e como assiná-las.

Aguardamos, como sempre, o seu contato, contribuição ou comentários,

Os Editores

Sobre a Revista
Por favor, preencha nosso Questionário


Sumário

Editorial
Agricultura urbana linear
Agrosilvicultura nas cidades periféricas no estado de Abia, Nigéria
Promovendo a integração da agrosilvicultura dentro e ao redor de Kisumu
Horticultura urbana nas pequenas ilhas do Pacífico

Agrosilvicultura urbana na China: atualidade e perspectivas

Arbustos forrageiros para aumentar a renda dos criadores periurbanos de animais
Florestas forrageiras urbanas em Gâmbia
Animais herbívoros para ajudar na manutenção de parques

Plantios com multi-funções como instrumento da agrosilvicultura periurbana
Projetando espaços para trabalhar a terra e construir comunidades
O desenvolvimento da silvicultura urbana em Beijing: uma perspectiva histórica
Implantando uma floresta urbana sustentável
O valor econômico e social das florestas urbanas

Os marcos político, legal e institucional da Silvicultura urbana no Zimbábue
O enverdecimento urbano e a saúde: fundindo os dois temas no Quênia

Florestas comunitárias no nordeste da Inglaterra

Lançando uma iniciativa política no Botsuana


Editorial: Árvores e cidades crescendo juntas
Cecel Konijnendijk, Michelle Gauthier, René van Veenhuizen
Embora as sociedades humanas, durante a maior parte de sua história, tenham sido predominantemente rurais, atualmente a maioria da população mundial vive em cidades. Cada vez mais terra é necessária para atender as necessidades dos seus habitantes, que concentram insumos e resíduos (a “pegada” urbana) com efeitos freqüentemente negativos sobre as florestas e outras áreas verdes. Especialmente nos países em desenvolvimento, onde estão a maioria das regiões metropolitanas que crescem fortemente no mundo, o gerenciamento dessas imensas populações urbanas será um dos maiores desafios de nosso tempo.

Agricultura urbana linear
Jac Smit, TUAN
Como tornar produtivas muitas áreas públicas hoje ociosas, de modo a promover a segurança alimentar, a qualidade ambiental e o desenvolvimento comunitário.

Agrosilvicultura nas cidades periféricas no estado de Abia, Nigéria
Stella N. Odurukwe
Abia é um dos 36 estados da Nigéria, e está localizado a sudeste do país. O estado inclui duas cidades principais, Aba e Umuahia, e outras cidades menores, periféricas, como Bende, Ohafia, Isikwuato, Uzuakoli, Mbawsi e Obehie. Essas áreas alcançaram o status de “cidades periféricas” ou por que estão próximas das cidades maiores, Aba e Umuahia, ou por serem centros dos governos locais.

Promovendo a integração da agrosilvicultura dentro e ao redor de Kisumu
Sammy Carsan, Geroge Wesonga, Miriam Wambugu
O dramático aumento da população urbana de Kisumu exige atenção à altura para prover alimentos, combustível e moradia a seus habitantes. Melhorar a qualidade de vida depende portanto do planejamento de estratégias que incluam as atividades agroflorestais urbanas.

Horticultura urbana nas pequenas ilhas do Pacífico
Randy Thaman
Os países situados nas pequenas ilhas do Pacífico têm historicamente sido dependentes da agricultura de subsistência e comercial e da produção pesqueira como base de seu desenvolvimento sustentável. Hoje, entretanto, tais países estão entre as áreas de urbanização mais acelerada em todo o mundo.

Agrosilvicultura urbana na China: atualidade e perspectivas
Chunjiang Liu, Xiaohui Shen, Pisheng Zhou, Shengquan Che, Yanling Zhang, Guangrong Shen
Durante os últimos 20 anos, um rápido processo de urbanização ocorreu na China devido à aceleração do desenvolvimento econômico. Entre 1983 e 2003, o número de cidades e vilas na China aumentou 2,5 vezes para cerca de 50.000, e a população urbana alcançou o nível inédito de cerca de 40% da população total do país.

Arbustos forrageiros para aumentar a renda dos criadores periurbanos de animais
Charles Wambugu, Steven Franzel
No Quênia existem cerca de 650.000 pequenos criadores de gado leiteiro e a maior parte deles está instalada nas periferias das cidades e vilas, onde a demanda por leite é alta e os custos para comercialização são relativamente baixos. O leite é um produto altamente perecível, outra razão decisiva para que ele seja produzido dentro e ao redor das cidades.

Florestas forrageiras urbanas em Gâmbia
Yemi Akinbamijo
Existe uma presença crescente de novos recursos genéticos animais na África Ocidental destinados ao aprimoramento das raças e ao aumento da produção local de carne e leite. Porém ter acesso a forragem e a suplementos de boa qualidade, para alimentar esses animais, está se tornando cada vez mais difícil.

Animais herbívoros para ajudar na manutenção de parques
Inger Ledin, Anna Jonasson
O interesse pelo uso de animais herbívoros para ajudar na manutenção dos parques e outras áreas verdes urbanas na Suécia está crescendo nos últimos anos. Pastando e pisoteando os terrenos, esses animais criam condições para enriquecer a fauna e a flora locais. Esse estudo foi realizado para htmlumentar o uso de animais herbívoros no manejo de áreas verdes urbanas nas cidades suecas.

Plantios com multi-funções como instrumento da agrosilvicultura periurbana
Anne Oosterbaan
Os plantios multi-funcionais oferecem uma contribuição valiosa para integrar, de vários modos, a agricultura e a silvicultura nas cidades. Eles consistem em uma combinação de árvores e de cultivos temporários que produz uma grande variedade de artigos e ainda oferece o tipo de ambiente natural do qual os moradores das cidades tanto precisam.

Projetando espaços para trabalhar a terra e construir comunidades
Antonio Lattuca, Raúl Terrile, Ricardo Kingsland, Pablo Abalos, Sabrina Cáceres, Carina Tamagno, Elio Di Bernardo, Laura Bracalenti, Laura Lagorio, Virginia Lamas
A experiência descrita neste artigo faz parte de um projeto de pesquisa e ação interinstitucional e participativa chamado “Otimizando o uso de áreas vazias para agricultura urbana por meio de programas de planejamento e gerenciamento participativos, para promover a segurança alimentar e a governança participativa dos municípios”. Esse projeto foi desenvolvido com o Escritório Regional para a América Latina e o Caribe do Programa de Gerenciamento Urbano, com apoio do IPES e do IDRC.

O desenvolvimento da silvicultura urbana em Beijing: uma perspectiva histórica
Jianming CAI , Tingting HU, Liou XIE, Yingli GUO
A silvicultura urbana é muitas vezes considerada como um recurso ecológico fundamental de uma cidade. A cada ano, muitos esforços são envidados no reflorestamento urbano da China para tornar as cidades mais atraentes e viáveis para uma vida agradável. No caso de Beijing isso está cada vez mais óbvio, particularmente por que a cidade deverá ser a sede dos Jogos Olímpicos de 2008.

Implantando uma floresta urbana sustentável
Terry Mock
Nos Estados Unidos, estima-se que 90% de toda a população vive atualmente dentro dos limites do que muitos chamam de “selvas urbanas” – um termo para designar a soma de toda a vegetação que cresce dentro dos limites urbanos, incluindo o centro da cidade, as áreas residenciais, os subúrbios e a periferia.

O valor econômico e social das florestas urbanas
Kathleen L. Wolf
A compreensão científica de como as árvores urbanas, as florestas e os espaços verdes beneficiam as populações cresceu substancialmente nos últimos anos de modo a incluir os aspectos sociais, ambientais e econômicos. Apesar do aumento das evidências científicas, a maioria dos governantes e administradores municipais insistem em desconhecer o seu potencial.

Os marcos político, legal e institucional da Silvicultura urbana no Zimbábue
Makanatsa Makonese, Shingirayi Mushamba
O conceito de silvicultura urbana no Zimbábue é aplicado aos pequenos lotes florestais que ainda sobrevivem nas áreas urbanas, bem como os recentemente criados parques e bosques com finalidades recreacionais e paisagísticas. A silvicultura urbana também inclui o plantio e manutenção de árvores ornamentais, arbustos e bosquedos ao longo das ruas, avenidas e estradas principais, pelos moradores para embelezarem suas residências, e nas áreas subdesenvolvidas.

O enverdecimento urbano e a saúde: fundindo os dois temas no Quênia
Dennis Osino, Paul S. Opanga
O rápido aumento da migração das áreas rurais para as urbanas resultou na degradação dos solos, na perda da biodiversidade, no desflorestamento e na deterioração das condições de saúde e de segurança das populações, levando à insegurança alimentar e, conseqüentemente, à extrema pobreza nas cidades quenianas como Nairóbi e Kisumu.

Florestas comunitárias no nordeste da Inglaterra
Clive Davies, Jonathan Scurlock
O programa de florestas comunitárias anunciado em 1988 começou como uma iniciativa experimental da Agência do Interior e da Comissão Florestal, com uma visão ambiciosa de criar paisagens bem florestadas dentro e ao redor das principais áreas urbanas, que poderiam ser ainda usadas para trabalho, refúgio da vida silvestre, recreação e educação.

Lançando uma iniciativa política no Botsuana
Alice J. Hovorka, Daphne Keboneilwe
Recentemente, o governo do Botsuana deu um passo significativo na direção da promoção da agricultura urbana. Em junho de 2004, o ministro da Agricultura, Johnnie Swartz, lançou oficialmente a Iniciativa Política para a Agricultura Urbana e Periurbana, no Centro de Conferências Internacionais de Gaborone.


Tradução: Joaquim Moura - críticas, comentários e sugestões: jmoura@hotmail.com e/ou www.agriculturaurbana.org.br